sexta-feira, 1 de abril de 2011

Novo ano Novo eu

Há tempo travei
Bloqueado estive desde a despedida daquele que ainda não nasceu.
Isso por meados do Janeiro que se passou. Que alguns acreditam ser o começo de novo ano.
Não eu.

Para mim novo ano nasce em Abril.
Onde minha trilha se abre e novos conceitos são estabelecidos.
Hoje quero só tirar a poeira, que me travou, que embassou, e bloqueou as palavras que vinham e que insistiam não serem escritas por demasiada angustia e sofrimento dos acontecimentos e sentimentos vividos.

Hoje, o ano começa. Depois do carnaval, depois do temporal.
Novo ano, novo eu
O amor, só o Divino agora interessa-me.

Vontade de voltar à Floresta de Juramidã.
Contudo, a trilha é à frente.
Atrás apenas lições.

Que venha o mundo
Pois de bubuia a alegria será minha resposta.

Paz a todos e todas

Saudades de meu sangue
Que parece precisar mais de mim do que nunca
E eu mais deles do que jamais imaginei

Trabalhar Correr Nadar Lutar
Rezar Jejuar Meditar Cantar
Conversar Escrever Ler Obedecer

Ó Mãe Divina, Pai Celestial
Venham assim me renovar!

Paz e bem
Amém!

Um comentário:

Vi Scheiner disse...

Tudo dará certo, amigo!
Confiança e fé são tudo!
Você é merecedor de tudo o que há de bom! Basta ter paciência!

Fica bem! Beijos!