sábado, 16 de outubro de 2010

A volta dos que não foram

Como disse o sábio Drummont:

"Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém. Saber que se é realmente amado."

Nunca havia meu coração sido preenchido com tão formosa flor
Jamais teria sido acariciado com tamanha alegria se não fosse essa magia
Magia que ocupou, remexeu, revirou e estremeceu toda minha alma
Mesmo tendo outrora vivido o que uns chamam de 'contrato social', nunca havia de ter sentido o que é ser casado, se não tivesse te amado.

Como disse o sábio Drummont:
"Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho."

Por esse maravilhoso fruto não estar maduro o suficiente
Não aguentou a corrente
Que de tanta emoção arrastava-nos de lá para cá
E foi mais fácil pensar
Que o melhor seria sozinhos ficar

Um até breve foi dado, pois (como já falara)
Amor, quando é sincero
Nunca se desvincula do amado

Sonhava-mos juntos para sempre amar
E não soubemos na tempestade lutar
Para na verdade de Deus caminhar

Sonhos tristes vieram
Para da alegria perdida nos fazer chorar

Tantos sonhos sonhados e tanto choro derramado
Nos fizeram acreditar que havia morrido
O que tínhamos sonhado ter vivido
Mas talvez tivéssemos esquecido
Que estava apenas adormecido

Entramos em liquidação
Nos aventurando pela ilusão
Para tentar ressuscitar o coração

Que mal tratado e longe do amado
Carente estava e não parava
De querer remediar
O que deixou escapar

Mas a diferença para o sucesso
É a atitude de lutar pelo sonho
Sonho sonhado
e não sonho formulado

Então, como disse o sábio Drummont:
"Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração."
 
Em liquidação
Parecíamos aos outros estar bem
Longe de quem
Não parávamos de sonhar
 
Mas para quê enganar
Se em meu leito pegava-me a te chamar
E chorar, tentando aguentar
Mais um amanhecer não te encontrar
 
Acorda menino
Todos dizem "és louco
Está certo de ficar no mercado
Mas se for atrás dela
És um louco desvairado"

Muito aprendi
Para agora não cumprir
A principal lição
De o coração sempre seguir

Amigos bons, outros nem tanto
Todos dizendo 'bola pra frente'
Contudo, louco me chames
Pois lutarei por ela, minha gente!

Da 'liquidação'
Caminho mais curto para se curar
Fecharei 'para balanço'
Caminho mais correto para onde quero chegar

Lutando para entender, para assim melhorar
E talvez alcançar esse sonho
De receber com alegria
Aquele que nunca se foi nem um dia

Pois sim ele voltou
Mas na verdade nunca fora embora
Meu amor por essa Tulipa
Vai entrar para a história



Que Nossa Senhora Aparecida da Conceição nos abençoe
E Nosso Senhor Jesus Cristo nos perdoe
Para assim nosso Mestre Juramidã
Guiar nossos passos hoje e amanhã!


Homini Pax.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Templários - Sua Origem Mística



Começo de férias e finalizo a leitura desse livro.
Em verdade, não recomendo muito.

Alguns erros gramaticais e de revisão que seriam perdoáveis caso não se tratasse de assunto 'místico'.
Também outros pontos deixaram a desejar. O autor (ou revisor) confunde exotérico com esotérico, o que pode-se registrar como imperdoável para um livro que pretende ensinar algo verdadeiro. Ainda em outro ponto confunde o papa Clemente V com Clemente II (na mesma página), que imagino ter sido erro de digitação/revisão.

Mesmo assim, li até o final de suas 246 páginas por se tratar de assunto no qual, confesso, sou leigo. A leitura se tornava interessante a ponto de querer ler mais. Contudo, não se prendia ao tema do título do capítulo, o que deixava muito confuso sua divisão, a ponto de na conclusão do livro serem colocados pontos de que o livro não trata.


Ponto interessante é que o livro afirma que os Templários ainda existem, e sua sede mundial é no Brasil.

Para um leigo, vale a leitura.

Apesar de não recomendar, o livro é citado em várias bibliografias sobre o assunto, o que me fez lê-lo até o fim e marcar diversos trechos interessantes, como esse:

"Tudo o que começa deve acabar, para recomeçar de novo; tudo o que nasce deve morrer, para renascer de novo."

Acre Querido


Com olhos inchados
Um até breve foi dado
Pois amor quando é sincero
Nunca se desvincula do amado

Deixo dores por aí
Que me perseguem até aqui
Mas como foi-me dito
Perto da família nos fortalecemos

Te amo Brasília
És minha família
Mas não posso negar
Que também minha família no Acre está

Saudades de lá
Enquanto por aqui
Saudades daqui
Quando voltar para o meu Aquiri


Meu Acre, eu te amo!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Escrever e não ler

Em conversa com estudante de jornalismo preparando a monografia:

- Eu gosto muito de escrever, escrevo muito bem, mas não sou muito de ler. Deveria ler todos os dias, mas leio umas duas vezes por semana...

Eu, achando um paradoxo profissional, questionei: - Como assim? Como consegue escrever bem [segundo a auto-crítica] sem ler??

- Dom! Nasci com isso.

[núh]


*acaba com a categoria...
**claro que dons existem, mas assim é demais!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Domando pensamentos e Rogando a São Francisco



Penso, logo existo
Existiu, logo penso

Foi intenso, convenhamos.
Por isso, continuo pensando

Tento bons pensamentos cultivar
E doces palavras falar

Pego-me a pensar no que não é mais
E a arrepender-me do que não foi

Encontro-me como anjo decaído e assistido por afetuosas entidades
Questiono: fora um erro?

Se errado fui, confesso: foi um belo erro!
Se errado continuo sendo, rogo: Clemência! Clareia o norte desse Teu filho, óh Pai Onipotente!

 "Aos que crêem, nenhuma palavra é preciso; aos que não crêem, nenhuma palavra é possível".

Eu creio Senhor! Isso basta?
Dai-me força e limpa minha alma!
Torne dócil o meu coração para que seja digno de Tua alegria novamente.

Com o grande Mestre São Francisco
Terei certo encontro
Que no dia de hoje se homenageia
E os pensamentos clareia

Amar mais que ser amado
Mais entender que ser entendido
Enquanto não encontro Santa Clara
Que eu imite São Francisco


Homini Pax.

sábado, 2 de outubro de 2010

Bati meu recorde

Meu recorde foi batido.

Até então havia presenciado apenas 47ºC, em Cuiabá, quando nos outros dias daquela semana fizeram lá seus 45ºC.

Essa semana, Rio Branco marcou 48ºC em seus termômetros de rua!

Pode-se comprovar pela foto, retirada do link (de Altino Machado):

http://blogdaamazonia.blog.terra.com.br/2009/09/09/em-rio-branco-ac-48%C2%B0-c/


Esse é um recorde que não quero bater novamente tão cedo...



Que Deus nos perdoe e nos ajude!
Cuidemos de Gaia, que ela está esquentando!!!

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Chega de saudade


Chega de saudade

Não como na música de Tom
Pois sem ela há paz e há beleza
E a tristeza
Só atinge a quem deixa ser atingido

Por que sofrer por um único ser humano?
Se há mais de 5 bilhões de outros tão importantes quanto...

Ainda lembrando da poesia de Tom
Se ela voltasse, mais do que uma linda coisa, seria uma coisa louca

Livre - penso, reflito, revivo e agradeço
Sonhando com seus lindos olhos verdes olhando pra mim
Penso não só na tulipa
Mas também na rosa e outras flores que ora cultivara em meu jardim

Deslumbro um girassol que parece ter vindo irradiar
Que mesmo distante, alegra e reanima
Mas pego-me a ansiar por uma flor no país das maravilhas
Que infelizmente não terá cultivo em meu jardim

Pois poucas são as flores que podem florir por aqui
Caliente, muy caliente
Diria a maioria delas
Por isso, devo me retirar e admirá-las em seus sítios

Retiro a crosta de preconceito
Para manter viva a chama de linda amizade
Que entre iguais nasceu
Mas que por diferentes é vista

A vida é bela
Veja o Sol de dentro da água
Sinta a energia após o Kampô
Ficar sozinho também tem seu valor

O abraço desinteressado de um amigo
O sorriso saudoso de uma mãe
Sinta como é querido
Isso sim, não tem preço

Dever cumprido
Não há do que se arrepender
Agora é ir de bubulha
E deixar a vida viver!



Que a paz de Deus nos acompanhe!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

SINCERAMENTE - André Luiz

Compreenderá que todo sofrimento é lição, agradecendo à dor a experiência adquirida na cartilha da provação.


Preferirá ser desagradado pelos que ainda não conseguem aceitá-lo como é, do que desagradar a consciência que lhe ensina a ser melhor a cada dia que passa.


Na companhia de amigos, ou solitário, seguirá adiante sem se deixar absorver exclusivamente pelos compromissos de ordem material, lutando, a todo custo, pela emancipação íntima, reconhecendo que toda construção sólida no reino do espírito se alicerça no sacrifício.



Se você sinceramente deseja acompanhar o Mestre na jornada de volta para Deus, tome a sua cruz sobre os ombros e não O perca de vista, em meio às surpresas e desafios da estrada...


(Do livro "Brilhe Vossa Luz", pelo Espírito André Luiz, Francisco C. Xavier, Carlos A. Baccelli, Espíritos Diversos)



segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Você quer ser feliz?

Lembre-se de uma coisa: Nós podemos nunca ter o mundo do jeito que nós gostaríamos, então, nós temos que gostar dele do que jeito que é. 


Osho.




Toda hora é hora para mudar.
Não se pode fazer um novo começo para o que já se foi. 
Todavia, há de se fazer novos começos todas as vezes que desejarmos novos fins...


Hoje é um novo começo. O que se passou? Passou.


Arrogância ou prepotência não serão confundidas com o sentimento de amor próprio que surgirá com a nova postura.
Sofrer? Sempre, mas sofrer com alegria.
Amar? Como não? Deus nos fez assim, cedo ou tarde será inevitável um novo amor.


Superação e alegria.
Eis o lema do dia...




IAÔ

terça-feira, 21 de setembro de 2010

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Vamos discutir ou conversar?

Vamos discutir ou conversar?
:: Bel Cesar ::

Foi dada a partida: uma nova discussão teve seu início com uma sentença acusativa. Quem escuta sente-se agredido e, na maioria das vezes, responde na mesma moeda. Esse infértil debate de "quem está fazendo o que a quem" gera apenas mais indignação e desconforto. Desta forma, o que parece uma conversa, na realidade, é apenas uma descarga emocional, quer dizer, uma sequência de monólogos carregados da frustração de emoções não digeridas.
....

Revelar ao outro nossa vulnerabilidade é saudável; o que não funciona é transferir ao outro a responsabilidade de zelar por nosso bem-estar. Quando tentamos repassar os cuidados de nossa vulnerabilidade para outro, este gradualmente perde admiração por nós, pois, inevitavelmente, irá se sentir sobrecarregado ao ter que gerir todas nossas frustrações e incapacidades, mesmo que temporariamente. 


Para ler o artigo completo: http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/c.asp?id=10188

sobre a autora:
Bel Cesar é psicóloga e pratica a psicoterapia sob a perspectiva do Budismo Tibetano.Trabalha com a técnica de EMDR, um método de Dessensibilização e Reprocessamento através de Movimentos Oculares. Autora dos livros Viagem Interior ao Tibete, Morrer não se improvisa, O livro das Emoções e Mania de sofrer pela editora Gaia.
Visite o Site
Email: belcesar@ajato.com.br

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Nosso Lar



"É sempre tempo de recomeçar..." - frase impactante no filme

Não há o que falar, é preciso assistir.
Para quem não leu o livro, como eu, vale muito a pena.
Não sou espírita, mas o filme não cai na limitação da doutrina.
É um filme emocionante, capaz de irrigar os olhos dos mais sensíveis.
Mostra os laços que temos, nosso apego e egoismo. E o mais importante: a necessidade de despertar a Verdadeira Caridade para com todos.

Como são importantes aquelas pessoas que passam...

Há uma passagem que gostaria de registrar - diálogo entre dois personagens, quando é explicado que as oportunidades são um instante na jornada, se perdemos esse instante, "quantas vidas serão necessárias para refazer esse instante?"


NOSSO LAR - O Filme: Altamente recomendado.



“Nós não podemos voltar atrás e fazer um novo começo, mas sempre podemos recomeçar e fazer um novo fim.” – Chico Xavier

domingo, 12 de setembro de 2010

O céu arde em toda parte

Vista do meu local de trabalho, em um dia que era para ser azul...

Não só na APA Irineu Serra percebemos as queimadas, mas em toda a cidade.

O céu arde



É o céu na Vila Irineu Serra
Que deveria ser azul
E há muitos dias é cinza
Na pior queimada que já presenciei nesses 4 anos aqui
Igual só ouço falar de 2005, quando eu ainda não pairava nesses ares


Ignorância ou indiferença?
O que acontece?

Amazônia não é apenas um nome popular, mas uma realidade
As queimadas por aqui não estão na televisão
Estão na nossa cara!

Que Deus nos perdoe
E que venham as chuvas


Homini Pax

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Anedota

Cansado de lembrar só das dificuldades, registro um sorriso.

Saindo do treino de capoeira, a menina vira e fala:
-Sim, seu políça, por que não me salvou quando eu estava apanhando na roda?
-Eu? Por que faria isso? Você estava apanhando de graça... (referindo-me à falta de movimentação da menina no jogo).
-De graça NÃO! Pago 30 reais todo mês!!


agora essa...

Liberdade

"Não é livre o homem que não se dá o direito de ficar tempo sem nada fazer".
autor desconhecido.


Não há como pensar em liberdade se não assumimos nossa colheita. Não podemos crer que na vida aja apenas coleta.

Em tempo: uma coisa coletada é aquela que pegamos sem termos plantado - de forma extrativista. Uma coisa colheitada é aquela que é fruto de nosso plantio.
Certo que podemos até coletar determinados sofrimentos e felicidades na vida, o que não deixará de ser colocado na balança na hora do 'acerto de contas'.
Mas, o mais certo é que a vida trata-se de colheita, daquilo que fazemos, daquilo que fizemos, daquilo que pensamos ou desejamos, ou daquilo que deixamos de realizar.

Imprimir nos outros a responsabilidade pelo que aconteceu, da forma "você não me entende", "você não me ajuda", "você não me ama", "você não me trata bem", entre outras, é algo espiritualmente imaturo e que mostra nossa limitação em compreender as lições Divinas para o nosso progresso.

O sofrimento poderia nunca ser um mal, caso compreendêssemos a razão pela qual estamos naquele ponto.
É um atraso sem dúvida quando imprimimos a responsabilidade fora de nós mesmos.
Cada um é responsável pela sua jornada. Algo elementar e muito simplório de perceber como Verdade.

O aprendizado (mais trabalhoso) é realizar isso em nosso ego. O que é muitas vezes evidenciado como notório fracasso nos piores momentos, quando temos raiva, rancor e ódio, muitas vezes daqueles que chegamos a amar como parte de nós mesmos certo momento do caminho.

Muitas vidas passamos. Se tudo fosse durar toda uma vida, quantas mais teríamos que reviver para colhermos tudo o que precisamos?

Não é porque acabou que não foi bom.
Não é porque foi bom que não devia ter acabado.

Não é porque o rancor minguou que o amor ressurgiu.
O amor sempre existiu e não acabará.
Estava impossibilitado de apresentar-se por tantas nebulosas emoções, mas estava lá.
Em um dia nublado, o Sol continua a brilhar.

Quero ser livre lato sensu.
Hoje sou livre restricto sensu.

O que adianta ter liberdade na matéria e não no pensamento?
Tenho lá minhas dúvidas.
O que sei é que deixar fluir os desígnios de Deus é a forma mais sensata no aprendizado necessário.

Voltar a Ti Senhor é o que mais anseio!
Mas, na medíocridade de minha prisão nessa mula, ainda desejo um carinhoso abraço de uma formosa e perfumada flor após um açaí gelado.

No tempo, virá.



Homini Pax.

sábado, 4 de setembro de 2010

A pensar

A pensar
Apesar

Com pesar
Tento me alegrar

Feitio à porta
vejo quanto a melhorar

Imaginei não ser amor
Aquela ardência que impelia
E não me corrigia


Insistia
E impedia
Que um dia
Eu veria

Não foi você
Fui apenas eu
Culpado
E derrotado

Não fui disciplinado
Ao seu lado
E errado
Fui muitas vezes contrariado

Hoje longe
Parece ser minha sina
Dou-me conta da fraqueza
Que tenho perante a disciplina

Errar
Errar
Corrigir
Corrigir

A você eu amei
Às paixões me entreguei

"Óh mundo, doce mundo
Se eu me chamasse Raimundo...

Seria uma rima
Não uma solução..."

E para acabar com esse quinhão
Vamos parar de lamentação

Alegria alegria
Hoje é um novo dia

Saúde à amizade
Mas que felicidade!
Agradeço o boné
E pelo que você é


Hoje Dia da amazônia
Dia da minha irmã

Dia de exaltar a Pitoca
E esquecer de vez a Pituca

Relembrar o saudoso vô Dilmo
Que ensinara a se alegrar
E de nada reclamar
Pois com fé
Nos mantemos de pé

"A caneta do Mestre é pesada"
Então fortalecer-me-ei
Perante essa lei

Sofrer para crescer
E limpar meu coração
Sem trabalho não tem como
Alcançar evolução

Óh mundo, doce mundo!
Quanto doce me deste

E por ser tanto
Peço água!!!

Água doce
Água salgada
Quem será
Minha próxima amada?

Acalmai
Acalmai a ansiedade

Espelho meu
Não entedeu
Por quão pouco
Esse menino sofreu?

O barco há de navegar
Para os encantos do mar
E quando chegar
Continuarei a pensar....


Homini Pax.

domingo, 29 de agosto de 2010

Uma vizinha e tanto - Jibóia



Na APA Irineu Serra...

O Fio do Destino



Mais um livro, mais um pouco de bagagem.

Certa vez, um importante colega - Yordan Badu (assassinado em um bar em Brasília ainda na faculdade) ensinou-me que "comprar um livro nunca é perda de dinheiro". Ensinou-me que livros são o melhor tesouro que podemos adquirir...
Bom ensinamento.

Esse livro não comprei, ganhei. De uma pessoa mais que especial, e que me trouxe muito do que precisava.

O livro que acabara de ler, abre-me as portas para um novo estilo de leitura, o romance espírita.
Já lera outros romances.
Não esqueço alguns de Sidney Sheldon, que arrancaram-me excitações juvenis, nada além. Tampouco posso deixar de lembrar alguns contos e lendas de Malba Tahan, do qual O Homem que Calculava fora responsável pelo despertar do meu agrado imensurável à leitura.

Contudo, um romance espírita é algo novo.
A tempos não interessava-me tipo de leitura diferente das que posso aprender, além de simples entretenimento. Esse é envolvente.
Recomendo muitíssimo O Fio do Destino, de Zibia Gasparetto (pelo espírito Lucius).
Nele pude entender (ou pelo menos conformar-me na providência divina para o progresso contínuo) alguns percalços recentes da minha jornada.


ALGUNS DOS TRECHOS QUE MARQUEI:


"- Engana-se. É justamente o que importa. Cumprindo os compromissos morais, aceitando as exigências da vida, fazendo o melhor e entregando a Deus nossos atos é que nos libertamos para a felicidade e a realização dos nossos elevados desejos. ..."

"- Deixe-me falar. Sempre desejei dizer-lhe isso. Sinto que me entreguei ao seu amor de corpo e alma. Não há em mim nenhuma reserva. Foi uma entrega total, absoluta. Entretanto, sinto que com você não aconteceu assim. Você guarda aspectos, partes de seu ser, nos quais não me permite entrar. Percebo que você guarda segredos e emoções das quais eu não participo."

"- Não posso aceitar isso. Como pode haver bondade nessa destruição terrível?
 - Somos todos crianças aprendendo a viver bem. Nossa ignorância tem nos criado sofrimentos e dor, mas por outro lado eles nos amadurecem e ensinam. Em meio a tudo isso, é preciso confiar em Deus... Ao seu ritmo, tudo caminha em harmonia. Criou-nos para sermos felizes. Um dia aprenderemos a enxergar mais a beleza do que a feiúra, a bondade do que a maldade, a alegria do que a tristeza, o bem de todos do que só o nosso. Ele não erra nunca, ainda quando permite que a dor nos visite a alma e chame para a outra vida um jovem como Julien."

"- ... Na conquista desses preciosos valores que nos darão a maturidade espiritual, cada personalidade deverá seguir e aprender, experienciar e aperfeiçoar-se. A vida, suas leis, defendem inapelavelmente esses princípios, preservando os objetivos divinos ideais de cada ser. Assim sendo, não tolera por muito tempo as distorções, as imposições e os enganos humanos, suas ilusões obstinadas, acabando sempre por corrigir o afastamento da programação divina, recolocando o ser no rumo adequado. Torna-se inútil, portanto, a insistência obstinada do homem, querendo comandar a vida, as pessoas, dominar a natureza. Conquanto possa conhecer um pouco mais, jamais o conseguirá. O melhor será aceitar as situações e as mudanças que a vida impõe, tentar compreender o que ela deseja nos ensinar e procurarmos nos esforçar para fazer o melhor."

"-... A luta entre o desejo e o dever. Estou feliz por haver optado pelo dever."


Boa leitura.

Aceitar o fim

"Aceitar que tudo na existência tem um tempo de duração, - não apenas a nossa vida -, é uma lição que precisamos aplicar, a cada minuto da jornada no planeta, se quisermos deixar de sofrer.
A metáfora da morte se repete em inúmeras situações de nosso cotidiano, no emprego que já não nos faz felizes, no relacionamento que já não preenche nossa necessidade de afeto, e muitas outras circunstâncias."

Elisabeth Cavalcante


"... Enquanto você estiver com alguém, ame, pois ninguém conhece o próximo passo, e o momento da despedida chega. Se você amar alguém realmente, a despedida será bela.... Sentirá gratidão."

Osho - A Harmonia oculta.


*Do artigo de Elisabeth Cavalcante - Taróloga, Astróloga,
Consultora de I Ching e Terapeuta Floral.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Nos doces braços da leitura

"O livro traz a vantagem de a gente poder estar só e ao mesmo tempo acompanhado."
( Mário Quintana )

sábado, 14 de agosto de 2010

Vida Simples

"Vida simples não significa pobreza ou consciência de pobreza.
Há pessoas cujas vidas miseráveis são miseráveis, que não é o ideal de vida simples.
Simplicidade significa estar livre de desejos e apegos, e extremamente feliz por dentro."

P. Yogananda

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

A habilidade de se auto-acolher após uma discussão

"O quanto o outro quer lhe agredir é uma questão dele, mas o quanto nos deixamos ser agredidos é uma questão nossa..."

Trecho de artigo da psicóloga e psicoterapeuta Bel Cesar.
belcesar@ajato.com.br

domingo, 8 de agosto de 2010

Você

Ainda com o seu perfume em mim
Desejo que não tivesse sido assim

Que linha tênue ardilosa
Faz brotar tantas palavras maldosas

Raiva brotada do amor

Ou da falta desse
Ou do que seria a não compreensão
Do que te fala o outro coração

Conquistar se impondo
Resistir se abrindo
Negar incentivando
Nutrir desacreditando

Quem cometera mais paradoxos?

Certo que não fora caso à toa
Disso tudo gerou muita coisa boa

Mas o fim fora anunciado
Por vezes o tempo dele trocado

Prorrogando o inevitável
Para ter-se mais considerável

Considerável carinho
Considerável o sonho
De uma família
Quem sabe um dia?

Sentira o meu corpo mais leve
Quando pronunciara "nunca mais"

Em instantes o medo
Será que é um segredo?

A carência à porta
Mas o que isso importa?

Se a linha foi cruzada
E você não é mais a minha amada.


Rogo a Deus para que limpe
O que em mim ficara
Dessa escuridão que entrei
Com as palavras que pronunciara

Raiva eu senti
Momentos eu vivi
Certo de que errei
Errado porque não fiquei

Fácil seria
Voltar à alegria

Mas a faca fora usada do errado lado
Você não me fez novamente o seu amado

Agora limpo da baixeza
Deixo passar a tristeza
E nessa leveza
grito: mas que beleza!

Finalmente livre!
Posso rogar a sua felicidade
Que não será ao meu lado
Mas quiçá de algum abençoado

Não imagina como te quero bem
Bem longe de mim

Para assim me livrar
E apenas lembrar
Que o que tenho que fazer
É simplesmente amar

Eu devo amar

Confesso te amei
E porque muito errei
Não fui o seu rei

Tampouco perdoei
O que passei
Sem explicação do que não compreendi
Não fui capaz de sorrir

Longe de ti, eu sou eu

E agradeço
O que talvez não mereço

Obrigado a você

Que me fez sofrer
E não mais querer

Assim convicto
Não corro o risco
De na carência
Achar que fiz demência

"Nunca mais" está registrado

Serei forte
Para não procurar
Aquela que me fez chorar

O ponto final onde "nós" começou
Para mostrar que todo mundo errou

Você pra lá
Eu pra cá
É assim que vai ficar

Que sejas feliz
Pois eu, sou um eterno aprendiz


Homini Pax.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Inimigos

"Inimigos não são aqueles que nos odeiam, mas aqueles a quem odiamos!"

A pessoa que amar, será amada.
É dando que se recebe, ensina o Mestre.
O duro é compreender a lição.


Homini Pax.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Mejda

Acabo de ler (ontem à noite) o livro Mejda

Sobre a vida de Paramahansa Yogananda, escrito por seu irmão mais novo.
Não tão interessante quanto a Autobiografia de um iogue, mas com vários aprendizados válidos, recomendo.

Pena (ou não) não estar disponível em português. Ganhei a versão em espanhol e aproveitei para aprimorar o meu pouco conhecimento na língua de nostros hermanos.


Homini Pax.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Amapá - ô rapá

Macapá-Amapá
Amará-ô rapá

Em meio a conflitos
E aprendizados
Ilusões se apresentam
e tentam

Mas não sou mais tão fraco
E rapidamente apercebo
O que gera um efeito placebo

O real
Não é real
A real
está no alto

No centro
No meio do mundo

Maniçoba, tacacá, Açaí
Nenhuma novidade por aqui

Rio Amazonas
Forte São José
Já valeu a pena andar à pé

Marco zero, latitude zero
Marcante eu espero

Norte e Sul
Aqui no meio do mundo
Juntos no mesmo ponto

Normal, acho que não
Incrível, tampouco

Assim o coração
sim e não
juntos no mesmo ser
esperando para ver
o que vai acontecer

normal, talvez sim
agradável, certamente não

Inspiração não existe
Mas a vontade persiste

Liberdade é grito
Que silencia sem agito
Liberdade é o rogo
Para nascer de novo

Santo Antönio
Säo Joáo e Sáo Pedro
Guiai o meu caminho
E retirai todo e qualquer medo


Homini Pax.

domingo, 27 de junho de 2010

Biscoito da sorte

"A indecisão gera a confusão."

"Suas mãos devem estar mais ocupadas que sua língua."


*Sabedoria japonesa no biscoitinho da sorte..

sábado, 19 de junho de 2010

Uma pequena estória - Bailarina

Uma menina novinha, de uns 15 anos, depois de treinar balé por mais de cinco anos, se esforçando muito mesmo, foi fazer um teste para uma companhia famosa, que poderia levá-la à apresentações internacionais e muito provavelmente ao sucesso e à realização com o balé que ela tanto sonhava.

No dia marcado, subiu ao palco cheia de energia, com sua melhor sapatilha.
O avaliador, famoso treinador francês, sentado olhando sem abrir a boca.
Depois de 20 minutos sem parar de dançar, finaliza sua apresentação empolgada. Sem dúvidas, muito provavelmente a melhor de todas que já fizera. O resultado é muito esperado como positivo.

Ainda ofegante pelo demasiado esforço, ouve do avaliador: "hum.. muito ruim... precisa melhorar muito..."
Totalmente decepcionada, saiu correndo e chorando do palco, tira as sapatilhas e raivosamente as joga na lixeira mais próxima, afirmando que nunca mais ia querer saber do balé, que ora tanto amava.


Anos mais tarde, já formada e com um salário mediano, sem expectativas, mas acomodada na vida simples e sem sacrifícios que levava, em uma palestra sobre arte, dança e música, reencontra o avaliador, algoz de seu destino ordinário.

Por ser uma mágoa há tempos deixada de lado, encontra coragem de ir conversar com ele.

- Olá, como vai Sr. French?
- Muito bem. Eu te conheço?
- Sim, mas não sei se lembrará... Eu fiz um teste para sua famosa companhia em meados dos anos 90 nessa mesma cidade, meu nome é Rita.
- Rita? Será? Rita Bones?? Não acredito! É claro que eu lembro! Foi uma das melhores apresentações que eu já vi. Você foi maravilhosa! Por que não continuou com o balé?
- Como assim?? O senhor me disse no dia que tinha sido horrível!!
- Ah, eu digo isso para todas. Tenho que ver se elas realmente amam o balé acima de tudo ou se apenas é empolgação. Se amam mesmo o balé, não importa o que os outros digam, elas continuam. A vida de uma grande companhia é cheia de sacrifícios e muito dura. Se desistem já na primeira reprovação, não são dignas do meu esforço para torná-las estrelas da dança. Que pena.. Você seria uma excelente aluna e uma linda estrela.


**Estória adaptada de uma lembrança passada que não lembro autor ou fonte. Mas a idéia era essa.

Ser Feliz - Osho

"Todo o amor do mundo pode ser dado a você, mas, se você decidir ser infeliz, permanecerá infeliz. E você pode ser feliz, imensamente feliz, por absolutamente nenhuma razão - porque a felicidade e a infelicidade são decisões suas.

Leva muito tempo para perceber que a felicidade e a infelicidade dependem de você, porque é muito confortável para o ego achar que os outros estão fazendo você infeliz. O ego insiste em dar condições impossíveis, e ele diz que primeiro essas condições precisam ser satisfeitas e somente então você poderá ser feliz. Ele pergunta como você pode ser feliz em um mundo tão feio, com pessoas tão feias, em uma situação tão feia.

Se você observar corretamente, rirá de si mesmo. É ridículo, simplesmente ridículo. O que você está fazendo é absurdo. Ninguém está nos forçando a fazer isso, mas insistimos em fazê-lo - e gritamos por socorro.

E você pode simplesmente sair disso; trata-se de seu próprio jogo - ficar infeliz e depois pedir simpatia e amor. Se você estiver feliz, o amor fluirá em sua direção... não há necessidade de pedi-lo.

Essa é uma das leis básicas. Exatamente como a água flui para baixo e o fogo flui para cima, o amor flui em direção à felicidade".

*Osho

domingo, 13 de junho de 2010

Novo Design

Em sugestão do blogger, alterei o design dessa página.
Os primeiros reclames são apontados com a desconfiguração do formato de todas as postagens antigas.

Quem manda mexer no que está bom?

Depois, quando tiver mais tempo (algum dia...), arrumo de maneira satisfatória.


Homini Pax.

domingo, 6 de junho de 2010

Eu Devo Perdoar

"Perdoar não significa beneficiar aquele que fez algum mal. Significa beneficiar a si mesmo, abster-se de sintonizar a freqüência das energias do ódio e desprender-se dos terríveis grilhões da mediocridade. Odiar é muito fácil. Difícil é manter a mente sintonizada aos sublimes eflúvios emanados pelo Pai Eterno. Ser consciência esclarecida é viajar pelas ondas do discernimento e da serenidade. Em momentos de difíceis provações, erguer a mente ao Pai Divino equilibra o viver e dá forças para seguir em frente..." André Luiz - RAMATIS FONTE: Wagner Borges

terça-feira, 1 de junho de 2010

IML e o Coração

É incrível como nos sentimos conectados com seres humanos que nunca tivemos qualquer contato. A proximidade da espécie nos identifica como iguais e, pelo menos para mim, é relativamente fácil imaginar-me passando pelo sofrimento alheio. Hoje, de plantão, escuto lágrimas e rangeres de dente. Lamentação e inconformismo por aqueles que, diferentemente do esperado, sucumbiram em tragédia muitas vezes inexplicável. A passagem desse para um plano menos denso é natural e esperada por todos. Contudo, quando ela ocorre de um acontecimento inesperado, pode-se classificar como tragédia, motivo de grande sofrimento. Acidentes acontecem. E dão audiência nos telejornais. Crimes nunca hão de se extinguir nesse planeta. E exercem grande atração na grande população. Ter contato com cadáveres é relativamente fácil. Matéria inerte. O difícil é o contato com o sofrimento daqueles que nessa separação ficam nesse planeta. Mãe que vê o corpo de seu filho, imaginando que nunca mais há de beijá-lo com carícias. Esposa que não terá mais o aconchego de seu amado... Filha que não verá mais o seu pai... E assim, as relações tão íntimas e cúmplices encerram-se sem nem ao menos um tempo para despedidas... Separar em matéria não é fácil. Hoje, mais do que nunca, eu sei disso. É árduo e gera uma dor extrema no coração... Todavia, a separação da matéria é muito mais penosa. Nunca mais haverá a chance de pedir um perdão, de ganhar um beijão, ou de simplesmente admirar o sono daquele que tanto se amou... A relação passa a ser unilateral. A raiva não mais faz sentido. O dinheiro de nada mais vale. Tudo não chega perto da vontade de um último sorriso. Para aqueles que ficam, ainda há tempo de corrigir muito das nossas limitações temporárias, do nosso orgulho, da nossa fraqueza, daquilo que nos atrasa ao caminho da plena paz. Que Deus receba àqueles que talvez nem sabem que já não estão em matéria. E que possa encher de força e fé o coração daqueles que aqui permanecem nesse vale de lágrimas. Amém. Homini Pax. Perdão Eu te amo Perdoe maus sentimentos, pensamentos e ações Perdoe os erros e ofensas Perdoe as culpas e ressentimentos Não há culpa Não é necessário reviver o sofrimento Não é preciso saber o porquê É preciso AMAR Sinto muito Perdoe-me Amo-te Sou eternamente grato

Passos espirituais

Os passos espirituais são claros: . trabalhar e estudar com afinco; . amar a todos os seres; . agir corretamente e com alegria; . ser luz no caminho; . estar atento aos sussurros espirituais dos amparadores no íntimo da própria alma. *Recebido espiritualmente por Wagner Borges - Texto extraído do livro "Viagem Espiritual - Vol. 3" - Editora Universalista - 1998.

terça-feira, 18 de maio de 2010

O dia de Hoje

Veja o dia de hoje! Pois é a vida, a própria vida da vida... Pois ontem já é um sonho, E amanhã apenas uma visão; Mas hoje, bem vivido, faz de cada ontem Um sonho de felicidade, e cada amanhã Uma visão de esperança. do Sânscrito *clonado de uma nota de rodapé de um e-mail. Deus nos fala por caminhos inesperados. Prestai atenção, vigiai e confiai.

sábado, 15 de maio de 2010

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Se os abatedouros fossem de vidro....

Se os abatedouros fossem de vidro, muitos não teriam a desculpa de tampar o Sol com a peneira. video Para o dia das mães, nada melhor que um almoço que não berre. Incrível. Os carneiros tinham seus pescoços perfurados e nem berravam. O que faziam era se debater até aguentar. Talvez daí a expressão "manso como um carneiro". Um dito evangélico no local disse que "até na Bíblia está escrito que o carneiro não berra porque é dado como alimento". Eu, particularmente, nunca vi isso escrito, mas tampouco vou pesquisar. Para mim, continua sendo ato desnecessário de crueldade e supremacia animal. Cultural, mas evidentemente insustentável. Outro ponto importante, é a função do carniceiro, cujo indulto pelos atos é justificado pelo mercado capitalista. O sábio Frei C. W. Leadbeater diz em um dos seus livros - Vegetarianismo e Ocultismo (Ed. Teosófica): "Se você mesmo tivesse de usar o facäo ou o machado de abate, e matasse o animal antes de poder comer sua carne, você perceberia a natureza doentia da tarefa e logo se recusaria a fazê-la. As delicadas senhoras que devoram bifes sangrentos gostariam de ver seus filhos trabalhando como carniceiros? Se näo, entäo elas näo têm o direito de incumbir desta tarefa algum filho de outra mulher." E continua: "Naturalmente aqueles que se brutalizam por este trabalho impuro provam-se brutais em outras ocasiöes também. Säo selvagens em sua disposiçäo e sanguinários em suas contendas; e já ouvi referências de que em muitos casos de assassinato o criminoso empregou o golpe de faca peculiar ao carniceiro." Essa visita demonstrada (na foto e no vídeo acima) confirma essa relação. O dono desse abatedouro já estivera preso alguns tantos anos por "furadas" em desafetos. E relatava a 'visita' não convidativa frequente que estava sofrendo... Ahinsa. Homini Pax.

sábado, 8 de maio de 2010

Boas Vindas

video Filhote de Cobra Coral me dando as boas vindas na nova casa.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Dia marcante

Era dia 27 de abril
O ano 2010
Quando de forma precária para uns
E chique para outros
Adentrei à minha caverna, minha morada

Anos se passaram
Nesse preparo
Quanto se fez
E quanto não se fez
E quanto mais ainda há por fazer

A felicidade é evidente
O medo é vergonhoso
Mas ambos presentes
Nesse ambiente

Quarto no cimento
Telha de barro
Janela fechada
Mesmo assim transparente

O dia 28 chegou
E a vontade de levantar não
Rolar daqui para lá
Em cima da porta que ora virou cama

Dia chuvoso
Assim como a madrugada
Calor quase não existia
Carapanãs sim

Velas acessas no chão
Um incenso no que um dia será um interruptor
Lençois novos
Sonho antigo

Ainda não completo
Mas hoje muito mais perto
Esse sonho é verdadeiro
Mas com certeza não é o primeiro

Aqui ou acolá
O que eu vim buscar
Não depende da morada
Mas sim da minha caminhada


Homini Pax

sábado, 24 de abril de 2010

Aprender a se amar

Com o coração quebrado
E os olhos inchados
Grito silenciosamente
Nessa noite quente

Fino é o fio
Que separa os sentimentos
Dois extremos tão diferentes
Tomam conta da gente

Amor é muito bom
Raiva nem tanto
Mas de um para o outro
É um pulo, um espanto

Não há como entender
O sorriso desaparecer
Por motivo qualquer
Importante não é

Mas importante se tornou
Quando o orgulho falou
E por falta de um simples "desculpe"
O caldo entornou

Agora sozinho
Aprender a se amar
Para segurar
Esse grande pesar

Quantos sonhos
Quantas promessas
Como uma coisa dessa
Apareceu nessa pressa?

Tudo acumulou
Por isso estourou
E forte não há
Que segure o desamor

O silêncio grita
Liberdade não
O que queria mesmo
Era um simples aconchego

O caminho não é fácil
Mas as escolhas se minguaram
Então peço força
Para enfrentar esse aprendizado

Aprender a se amar
Novamente sendo testado
Se o que me importa mesmo
É tão somente o Bem-Amado.


Homini Pax

quinta-feira, 22 de abril de 2010

A beleza

"Belo é aquilo que lhe atrai", já me ensinara minha saudosa professora de artes do secundário (atualmente 'ensino médio'), com quem aprendi muito, e muita coisa boa! Desde então, carrego esse conceito, e tenho a beleza como estritamente subjetiva, que chega a um consenso apenas por padrões culturais e sociais, bombardeados por meios involuntários de recepção que acabam deixando-nos condicionados a concordar com o sentimento alheio. É como aquela música que você acha a pior de todas, com uma qualidade sonora questionável e uma poesia um tanto duvidosa, digna de censura tempos atrás. Mas quando a mesma não mais chega aos seus dignos e bons ouvidos, seu cérebro começa a cantarolar essa pérola da "música hoje popular brasileira"... Quem nunca se pegou a cantar ou a pensar no ritmo indesejado? Eu mesmo morri de vergonha, quando um dia chegou a sair da minha impura boca as palavras "rebolation"... Como fui me deixar contagiar a tal ponto?? Pois então.. Voltando ao assunto inicial, registro aqui que a combinação de cores do blog ainda está sob construção, aceitando assim toda e qualquer ajuda. O gosto pessoal desse que aqui escreve geralmente não compartilha de sensos padronizados. Preto de fundo para economizar energia dos monitores dos computadores. Todavia, será compensatória essa economia? Com um tanto de superficialidade nesses escritos, peço PAZ!

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Inconstâncias e incertezas

Sob novo olhar
Me pego a errar
Impossível doutrinar
Esse jegue teimoso

Nas ruas e nos campos
A luz vai distante
Por onde voltar
A ser um verdadeiro amante?

Amante da vida
E dos ensinamentos
Que meu Mestre me dá
Para o meu entendimento

Ingrato sempre fui
Ou pelo menos devo ter sido
Para ter merecido
Cair nesse turbilhão

Não deixe de aprender
Ele me lembra
Mas inconstante esqueço
E por isso mereço

Mereço as incertezas
Por não saber ouvir
A quem me norteia
Para poder sorrir

Rimas pobres e feias
Não sei mais escrever
Expor ou esconder
Ou simplesmente viver

Ser ou não ser
Escrever ou não
O importante na verdade
É sair desse turbilhão



Homini Pax.