terça-feira, 29 de novembro de 2011

Karma - La Justicia Infalible



Regressando de fase interessante quando passei quase 4 meses ausente das terras que acolhem minha jornada, reinicio o registro de livros que li no primeiro semestre desse ano, como já dissera em julho.

Esse livreto, intitulado Karma - La Justicia Infalible (espanhol), adquiri de uma personalidade ímpar em Cuzco que me passou certa alegria e paz com sua forma de se expressar e mansidão nos olhos. À princípio comprado mais para ajudar o pacífico vendedor do que por interesse, foi leitura super agradável.

Alguns trechos chamaram atenção, dos quais destaco:

" Acaso hay algo más patético que un hombre que proclama que no le rinde cuentas a ninguna autoridad, pero que sigue a sus sentidos ciegamente, adondequiera que éstos lo conducen?"

"...el control de los sentidos. Ése es el verdadero sistema de yoga."

"Aquel que está entregado a Krishna de esa manera, no está sujeto a la lamentación ni al deseo, mientras que el que no está consciente de Dios, simplemente anhela y lamenta."

Valeu a pena a leitura.


Hare Krishna!


quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Prefiro a vida

Já não me encaixo em teus conceitos
Óh sociedade insana

Que vida viverei?

A própria
A que os outros cuidam
Ou a que os outros inventam

Tentarei encaixar-me em ti
Para viver preso a uma falta de sentido
Ou a um sentido sem cerne
Ou para viver como verme

Ironia ouso falar-te
Porque certamente minhas escolhas não te entrego
Como bom amigo alertou-me
Mesmo vivendo a vida sem rima
Ficarei com a poesia

Conceitos? Estou passando...
Prefiro a vida!


Omnia vincit Amor

Antes, em seguida e agora

antes
o tempo parecia não passar
dinheiro julgava não precisar
liberdade mal para andar

em seguida
o tempo ainda abundante
algumas escolhas, mesmo errante
dinheiro em falta gritante

agora
liberdade até demais
dinheiro não preocupa mais
mas sem tempo... como é que se faz?

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Meu coração não é de papel

Que atire a primeira pedra
Quem nunca provou dessa moeda

Paixão descrever como amor
Perdido em seu interior

Achar que o outro é culpado
E você menos amado

Não, não menina
Meu coração não é de lata

Não é de lata meu coração
Frio e insensível tampouco são
Os meus sentimentos por sua pessoa
Que gostaria de estar numa boa

Drama já não consigo mais viver
A vida a pauladas me fez crescer
O que é, simplesmente é
Um prato não cabe em uma colher

Uma semente nasce por si
Mas logo às primeiras radículas
Necessitam de fora se nutrir

Coisa estranha dizer que se quer bem
E fortalecer discussão sem saber com quem

Difícil é começando super legal
O que esperar começando tão mal?

Não, não jogo a toalha
Estou aqui e sei o que quero
Contudo, ser motivo de sofrimento
Jamais me passou pelos pensamentos

Quero sim ter o pé no chão e viver
Em paz, em paz, em paz

Por isso a você eu aviso
O que mais nutre é o sorriso

Contudo, o que fazer
Para assim merecer
Um belo sorriso voltar
Os nossos semblantes alegrar

Sei que por ti sinto doçura
Doçura feito mel
Mas nunca se esqueça
Meu coração não é de papel

Não, não é de papel o meu coração
É de sangue quente como um leão

De que vale espinho sem flor?
Tampouco imagino sacrifício sem amor



Que a Paz de Deus nos acompanhe!
Para todo o sempre, Amém.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Casulo





com a ajuda de Ma-Thi
que é todo coração
venho refletir o que vem
perturbar a paz e o bem

queria mesmo era um casulo
para tantas bobeiras não passar
se palavra vale pouco ou muito
por que tantas desperdiçar?

o que sinto importa menos?
o que erro importa mais?
besteira é besteira
e deve ficar para trás!

certo é
que romântico hoje
é um chato sem galocha
e sem rima

ao público vim e disse
o que muito ouvi dizer ser maluquice
por isso aqui desabafo a tristeza
de não ir dormir com tua beleza

casulo da vida não há nesse momento
mas depois de sua ligação
vou dormir pensando em casamento

domingo, 2 de outubro de 2011

Não sou santo

Imitar a Cristo
Seguir o coração
Meta complicada
Essa trilha traçada

Nesse caminho
De homem bonzinho
Nem sempre consigo
Não estar perdido

Canela rasgada
Sinal qualquer
Não se perca de novo
Por uma mulher

Tristeza por que?
Sem ter o que fazer
Há muito a ser trabalhado
Para quem almeja o Bem-Amado

Santo não és
Mas não meta as mãos pelos pés

Calma meu filho
Siga no trilho
Nem sempre reto
O destino é certo

Confie e não deixe de trabalhar
Para um dia alcançar
Você deve amar
E sempre perdoar

Amar não só uma mulher
Mas a essa também
Amar à humanidade
E a todos querer bem

Não se maltrate
Nem aos poucos se mate
Não esqueça o que aprendeu
E do caminho teu

Mágoa? Que infame!
Isso atrapalha que você ame
Não entender ou compreender?
Onde está o seu merecer?

Mais entenda do que seja entendido
Já era para ter aprendido
Reativo jamais
Não é assim que se faz

Sozinho não ficarás
Pois não vou te deixar para trás

Mas Mãe, não sou santo
Não mereço tocar Seu manto

Aprenderás algum dia
Assim como fez Maria
Sebastião, Francisco e José
Todos começaram com um pé

Um pé depois o outro
Assim se dá cada passo

Santo não és, tens razão
Mas sempre te darei Meu perdão
Viva homem como és
Mas veja sempre onde metes os pés

Que a Luz seja minha guia
E o conforto me seja suficiente
Para entender esse ego
Que tanto mente

Que seja capaz de manter o trajeto
E meu Pai sempre por perto
Que o que devo amar
Sempre fique no meu olho a brilhar

Graças pela instrução de cada dia
E que tenha a devida sabedoria
Para ser um homem de bem
Instrumento de Vossa Paz

Amém!



Ominia vincit Amor


quarta-feira, 28 de setembro de 2011

28 de setembro

Há muito esse dia me chama atenção
Ainda nem sei entender
Mas coincidência demais
É de algum perceber

Padrinho de batismo, chamado Anysio
Primo de sangue, com o nome Wiliam
são os mais antigos que nesse dia parabenizo

Para ver que não é coisa minha, elenco:
Bruno Castro, quase irmão
Paolla Schietti, a amiga de mais anos
Maria Isabel, cachoeiras de mel
Hélia a Francisca, feliz sempre fica
Luciana Araújo, amiga, mesmo sumida

Ainda é certo que nem de todos estou lembrado
Pois sei que mais alguns deveria dar esse recado

A todos vocês rogo à Rainha da Floresta
Que abençoe e ilumine as vossas festas!!

Muita saúde sempre repito
e muita Paz para o espírito
Para festar o dia
DESEJO A VOCÊS MUITA ALEGRIA!!!

28 de setembro
dia que não dá para esquecer
tanta coincidência assim
ainda não consigo é entender

Antes (27) o dia dos irmãos Santos Cosme e Damião
que reavivam a alegria das crianças de montão
Depois (29) o dia do Arcanjo Santo Miguel
Poderoso protetor que vem do céu

dia 28 de setembro
pode deixar que sempre te lembro!



Pax Tecum

sábado, 10 de setembro de 2011

30



O momento é de mente quieta, espinha ereta e o coração tranquilo!

Agradeço a todas as bençãos recebidas! 

OM TAT SAT

30
sozinho vim
sozinho estou

mas nunca só
é como me sinto

Teu alento e Tua paz
a qualquer momento me satisfaz
basta olhar-Te com um olho
para sentir-Te orientando

orientando o caminho
para escapar do espinho

quão fraco e imperfeito
se ficasse só era bem feito
mas Tu me recebes sempre de braços abertos
e quer-me sempre por perto

hosana! hosana!
nas alturas e na matéria

aprendendo andar pelos prados e campinas
sem deixar-Te e sem esquecer-Te

que a cada respiração
sejais Vós minha inspiração
que a cada passo
seja por Ti que me movimento

assim rogo caso tenha direito
desses 30 anos
perdoai os meus defeitos

guia-me em Tua presença
e aumenta a minha crença

três décadas passaram
quantas mais ainda virão?
que em todas não me esqueça dessa missão
a cada momento tornar-me um bom irmão

homem de bem
com as Vossas bençãos
Amém!

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Ninguém é de ninguém

Até onde chega o limite?
até que ponto está o limiar?

quando é a hora
de respeitar
de esperar

ou, melhor, de nada esperar

impossível, nesse grau, nada nada esperar
depois de tanto ter que aguardar

como voltar o que se foi e gostar do que ainda não foi?

sinceramente, ser demais não satisfaz?

então, ser de menos não é dos pequenos??

sempre fui, desde que me lembro, apaixonado por tudo que me entrego
e se me entreguei a ti
por que seria diferente?

mais vale poucos minutos bem vividos
do que séculos sem nada aproveitar

eu aqui
milhas e milhas mais próximo
e deito-me a conversar com as teclas
e não com ti
por quem bom tempo esperei

pena é sentir
que o encanto parece ter fugido de nós

e nesse desencanto
espero aprender como ser melhor

talvez atingir o equilíbrio
e finalmente entender

que ninguém é de ninguém


pax tecum.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Como conquistar uma Supermemória



J. Louis Orton realmente surpreende demonstrando como a realidade é relativa.

Livro altamente recomendado! Abre os olhos e a percepção para detalhes que ajudam a entender certas divergências entre pontos de vista.

Às vezes, mentir não é consciente. Tampouco é doloso.

Alguns dos trechos super interessantes:

"Evite fazer julgamentos precipitados. Muitas pessoas cometem o erro de chegar a conclusões apressadas depois de umas poucas observações; então, tudo que se segue é encarado com idéias preconcebidas. Os médicos são especialmente sujeitos a esse vício".

"... "Ler" - disse Francis Bacon - "torna um homem completo; conversar torna um homem pronto; e escrever torna um homem exato." Escrever dá-nos a oportunidade de pesar judiciosamente nossas palavras; e é também um exercício na formação de frases e sentenças, algumas das quais podem ser usadas, por hábito ou por escolha, quando formos fazer um discurso."

"...poesia é a arte de empregar palavras de modo a produzir uma ilusão da imaginação, a arte de fazer com palavras o que um pintor faz com as cores."


vale a pena a leitura!

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Ser Leão



um pouco posso falar
do que muitas vezes me pego a brincar
ser leão é fogo
e muitas vezes uma brincadeira de bobo

mais do mesmo nunca satisfaz
ser original é o que quer deixar para trás

qualquer um ou mais um não é seu estilo
'o um' combina muito mais com esse felino

muitas vezes confundido por não se prender
mas preso é domesticado com seu bem querer
não por todos, mas digo por mim
sou sempre exclusivo de quem tô muito a fim

não se deixa prender sem sua vontade
mas se entrega de corpo e alma com bondade
para isso um carinho e um sorriso
atualmente é o que mais preciso

enquanto isso, passear na floresta é revigorante
sentir o suspirar muitas vezes delirante
mas quase tudo é só brincadeira
cuidado é mantido pra não fazer besteira

do dia 22 de julho
ao 22 do oitavo mês gregoriano
se o nascimento cai aí
leão é chamado qualquer fulano

adoro ter tido esse privilégio
de nessa turma ter caído nesse colégio
o leão geralmente faz por onde
ser destaque no seu bonde

sua luz sempre com muito calor
as chamas nem sempre de puro amor

novamente pessoalmente
julgo por ser leão me sentir carente

mesmo com muitos amigos
muitas vezes me sinto perdido
se não sou lembrado
parece que algo foi quebrado

arrogante será?
ou algum dia chego lá?

poderia descrever muitas outras cansativas rimas
sem assim conseguir qualquer um que leia
pois geralmente o que é bom não corre o risco
de se tornar repetitivo como areia

em resumo doravante fica assim
para se lembrarem dos outros e de mim
resumo o Ser Leão, mas sem limitação
sendo intenso FOGO ardendo em seu coração!


Os Grandes Iniciados - Platão


No livro 7, da coleção intitulada "Os Grandes Iniciados", a editora Martin Claret apresenta breve histórico e comentários sobre vida e obra do magnífico Platão.

O filósofo ateniense, ensinado por Sócrates, ensinou Aristóteles.
Difícil não causar admiração sua postura na época em que viveu, cerca de 3 ou 4 séculos a.C.

Pouco destaque tem o livro, pois é muito superficial.
Consegui extrair mais interesse pelo filósofo, o qual já algumas anedotas o deixam em grande patamar dos sábios ensinadores.

Muito é conhecido o conceito do "amor platônico", mas, nesse livro, nada se trata sobre o mesmo.
Contudo, uma das partes que destaquei como interessante, refere-se a esse sentimento e diz assim:

"Fala-se aí do amor que é paixão e do amor sensatez. ..... Sócrates retoma o tema que Lísias tratara e, apelando para as recordações do passado, sobretudo para o que ouvira de Safo e de Anacreonte, passa a mostrar quais os efeitos do amor que é paixão, o amor que ele - assim como Lísias havia considerado - crê ser um amor nocivo."

Para não deixar de registrar, um ensinamento que não está nesse livro, mas condiz com o autor (o mais notório discípulo de Sócrates), vou explicar o que é um "passeio Socrático". Antes, lembro que muitas obras de Platão são conhecidas como "diálogos Socráticos".

- Sócrates caminhava pelo comércio, quando abordado gentilmente por diversos vendedores realizando suas funções profissionais questionavam: - "no que posso ajudar o senhor? o que gostaria de comprar?"
- Estarrecido com a diversidade e quantidade de utensílios e objetos mais variados e inúteis possíveis, Sócrates respondia: - "nada levarei. Apenas vislumbro a quantidade de 'necessidades' que não preciso para ser feliz!".

isso é um passeio Socrático.

terça-feira, 19 de julho de 2011

A Yoga de Jesus

Em Janeiro deste ano de 2011, sofri grande abalo emocional com a despedida daquele que Ainda Não Nasceu.

Somente com a retomada do Novo ano, em meados de Abril, consegui reanimar, respirar e declarar qualquer coisa. Contudo, não parei de ler em casa nos meus momentos pessoais livres. Nesse período, alguns livros me fizeram companhia e ensinaram; todavia, não fui capaz de registrá-los no blog, como já tornara-se costume fazer.

Agora, retomo tal atividade, descrevendo os livros lidos nessa fase.





Excelente livro e autor inquestionável. Conhecedor e ensinador da Verdade Pura e da Ciência Divina. P. Yogananda é leitura obrigatória para os buscadores.
Nesse livro, Yogananda traz uma comparação admirável entre as doutrinas crísticas de Jesus e de Krishna; realizando analogias várias citando não raramente a Bíblia e o Bhagavad Gita. Nele, muitos pontos destacáveis, sendo alguns dos que mais gostei, esses:

"O homem continua firmemente convencido de que é essencialmente um corpo, embora receba provas diárias do contrário."

"Ainda assim, quantas encarnações humanas já forma desperdiçadas em preocupações com alimento e dinheiro, gratificação do corpo e emoções egoístas! Cada um deveria perguntar-se como está utilizando os preciosos momentos de sua vida atual."

"A felicidade está tão próxima quanto o nosso próprio Eu. Não é nem mesmo uma questão de alcançá-la, mas apenas de erguer o véu da ignorância que encobre a alma."

"...oito passos a serem seguidos para a ascensão ao reino interior de Deus:

1. ...conduta moral...
2. ...pureza de corpo e mente...
3. ...disciplina do corpo...
4. ...técnicas de controle da energia vital...
5. ...o poder de completa quietude...
6. ...o poder de utilizar a mente interiorizada...
7. ...a meditação aprofundada pela intensidade da concentração...
8. ...união com Deus..."



Em breve, registrarei os outros livros.


OM SAI RAM.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Parte boa

Parte boa do trabalho....
No meio de um incêndio no canavial, um gavião mostrando sua majestade voando próximo a uma castanheira.






domingo, 10 de julho de 2011

Esperar

e eu aqui, nessa madrugada... 
pensando em vc, procurando saber
mas não acho, e talvez nem procure
pois o momento é de esperar

a pergunta então é retórica
o que esperar???

melhor mesmo é nada
pois o que vier é lucro!!!



.....




e ela some, ela aparece.... 
lembra que me tem em bom lugar, 
esquece de me guardar... 


ah, se eu esperasse mais que isso... 
o que seria? 


como vem, vai.. 


freedom é a chave da alegria!! 


portanto, sorria! 
e deixe não de aproveitar a magia! 
enquanto podia, 
faça reviver aquele dia... 


em que gemia e me chamava: mais! sempre! eterno... 


será um novo elo? 
ou novo sofrimento? 


certo é 
que aqui por dentro 
abres caminho... 


com carinho, 
mas não tão mansinho.... 


secreto parecia ter começado. 
claro agora é 
que não posso ter isso apenas guardado.



sábado, 18 de junho de 2011

Passado que não condena

Antes de hoje
O que já foi
Qualquer dia
Qualquer alegria

Se chorei ou se sorri
Sabe o rei que o importante é que vivi

Os passos não devem ser julgados
Mas, enfim, compreendidos.

Não seria hoje quem sou
Esse alguém que tanto errou
E também achou que amou

Achei sim
Certeza não mais tenho qualquer
De algum desses dias passados
Ter amado essa ou aquela mulher

Falei para 5 até hoje
Convencido de apenas 4
A quinta já sabia
Que aquele sentimento
Realmente não existia

Nem por isso foi menos...
Ou, tampouco, será esquecida
Por mim será sempre lembrada
E também muito bem recebida

Quero mesmo é falar das outras 4
Que importante demais também foram
Para entender onde vim caminhar
E algum dia merecer realmente amar

A primeira das Anas
De sobrenome Leite
Diferença de idade
Na época foi realidade


O ano era 98
Aprendi molhar o biscoito

Não a primeira, mas a segunda mulher minha
Não deixei de sonhar qualquer dia
Com aquela carinha

Namoro pode até não ter sido
Mas aprendi o que é ser ferido

Com a segunda das Anas
Mais tempo fiquei
Muitos planos eu fiz
Por pouco não casei

Seu sobrenome era Madeira
E ao seu lado fiz muita besteira
Não sabia o que era retidão
E magoei seu coração

Ferido eu tinha sido
E ferir dessa vez aprendi
Arrependimento aos prantos
Dessa vez eu senti

Ao seu lado virei rapaz
Garoto bom não me senti
Sogra aprendi o que era
Bom é voltar a sorrir

Algum tempo a mais se passou
Até que a terceira das Anas chegou
Essa sim mais preparado
Acabei sendo casado

Seu sobrenome Barbosa
Sempre a achei muito vistosa
Mudanças em quase 5 anos
Afundados foram muitos planos

Ajudei tenho certeza
Assim como fui ajudado
Mas acabei sem entender
Por onde é que tinha errado

Bom marido achei que fui
Maltratado talvez julgara
Certo é que muito carinho
Guardo dessa que muito eu viajara

Separação dolorosa
Talvez a mais penosa
Mas algum dia irá se tornar
Apenas lições proveitosas

Pouco tempo depois
A única não-Ana
De sobrenome Condé
Aprendi o que é ter uma mulher

Também muita dor e dificuldade
Entendi como é a realidade
Em desejar diferente felicidade

Tentar juntar duas vidas sofridas
Entre muitas idas e vindas

Diferença de idade não foi problema
Divergência sempre tinha outro tema
Bicho feio esquisito
Tal ciúmes maldito

Coisa remendada não muito presta
Passado agora é o que resta
Pelo pouco tempo não nego
Que ainda muito dói o ego

Certo é que sem qualquer dessas
Não teria todas as peças
Para juntar nesse corpo
Que muito deseja ser outro

Outro melhor e mais completo
Para uma esposa ter por perto
Ter alguém com quem conversar
E também alguns filhos criar

Agradeço a todas essas
E a outras também
Que Deus abençoe a gente
E Santo Antonio rogue por nós, Amém!

Você não viu, mas eu vi

Você não viu, mas eu vi
Gavião apanhar de bem-te-vi

Você não viu, mas eu vi
Tulipa florescer no meu Aquiri

Você não viu, mas vou mostrar
O que aqui está a desabrochar
Muito não vai aguentar
Mas sua beleza quero registrar:


domingo, 12 de junho de 2011

Câmara Temática de Culturas Ayahuasqueiras

Blog da Câmara Temática




A Câmara Temática de Culturas Ayahuasqueiras do Conselho Municipal de Políticas Culturais de Rio Branco criou um Blog, objetivando melhorar a comunicação entre as comunidades e conselheiros.




Em tempo, a próxima reunião da CT-Ayahuasca será dia 14/06/2011, terça-feira, às 19h na Casa de Cultura (Rio Branco/AC).


Magia de uma flor



segunda-feira, 6 de junho de 2011

Casa encantada

Pedacinhos do meu paraíso.




 Onde está o Papai Smurf??



E desabrocha a primeira flor de uma donzela...




Jasmim-manga - se tenho o direito, essa é minha preferida!!!

Mingau



Serenamente alertou
Que seu nome não era feminino
Mesmo pequenino
Mostrou a sua graça

Mas pela ordem da vida
Seguiu o caminho da Aparecida
Atravessou a cerca do limite
Não importando qualquer palpite

"Vem! Vem logo rapaz!"
Mas ele nem olhou para trás

Como um trem a atropelar
Fez o Mingau tão somente uma vez miar
Eu a assistir
Sua curta e serena vida extinguir

Impotente ao ver aquele ente
Passar por cima como uma chapa quente
O que fazer?
Novamente meu gatinho perder?

Pois assim é a vida
Mingau agora junto com a Aparecida.



Que São Francisco de Assis proteja os nossos bichinhos!
Amém.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Aparecida


Gata querida
Essa tal de Aparecida


Do leste veio
Para se instalar no meu meio


Chegou do nada
Ao despedir da madrugada


Sem nem comida receber
Fez por assim merecer


Mostrou-se guerreira em vários momentos
Até os seus últimos tormentos

Atacada minha gata amada
Ficou com a pata toda estilhaçada

Ainda assim
Parecia não ser o fim

Sem seu calor
Aguentou horas com dor

Muito sangue ela perdeu
E o que podia fazer eu?

Ao veterinário levei
E a São Francisco rezei

Sete vidas um felino tem
Então por que não viver além?

Ferimento grave do ataque canino
Lá se foram as sete vidas de felino

Aparecida mãe cuidadosa
Com seus conhecidos
Era super bondosa

Apareceu para não me deixar só
Atacada fora com raiva e sem dó

Culpa não tem o cão
Instinto é mais forte que qualquer "não"

Assim se foi Aparecida
Com certeza bem tratada e vivida

........

Que aonde chegou seja bem recebida
A minha amada gata, linda e querida



Que São Francisco nos abençoe!
Amém.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Wesak



Bençãos de Cristo e de Buda

Não é à toa que muitos elogios à Lua foram feitos ontem...

A foto é de um dia antes de ontem, mas ela já estava maravilhosa.
Ontem não tentei tirar fotos, apenas admirei muito em um passeio demorado pela minha maravilhosa vizinhança.
Ontem o luar fazia sombra!

Pesquisem a palavra "Wesak" e vão entender o que eu digo.


Om Tat Sat
Amém.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Hora do descanso



Tuco e Serena
Serena e Tuco

Aparecida ainda está arredia, enciumada com a concorrência.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

domingo, 8 de maio de 2011

Nova companhia em nosso lar


Nunca deixe de aprender

tempo já que aprendi
a indecisão gera a confusão

quando certo, me vejo a refletir
que pena do que houve
do que teria errado ali

na incerteza, me pego perdido
ou, pelo menos, sem saber onde estou
atordoada cabeça de quem tanto errou

chorar não mais é a solução
e mesmo assim, esforço-me a sorrir

não, não é de dor minhas palavras
mas de certo tormento
que gostaria de jogar no vento

mas como a brisa
pega-me desapercebido
com a flecha do cupido

descubro para meu desassossego
que a volta dos que não foram
tampouco quis fazer as malas agora

botado para fora
bate à porta como outrora

suplico a mim mesmo
pois só de determinação depende

chega de saudade
o que quero é felicidade

estou onde deveria estar
já ensinou o Mestre Xavier

pois não estando aqui, muito pensei
sentir-me-ia como um rei

rei do reinado de mim mesmo
sabendo o que penso, o que sinto, o que faço

mas que mérito teria
se não sofresse com alegria?

estou aqui, aqui estou
seguindo assim, assim eu vou

alegria alegria
toda alvorada traz um novo dia

agora é cuidar
para saber que devo amar
e não deixar no chão
a fidelidade ao meu coração

dizem que o começo da história é o casamento
será que só assim terminaria o tormento?



que a Paz de Deus banhe a todos
Homini Pax.

O SENHOR VISHNU





O SENHOR VISHNU

- Por Anthony de Mello -

O senhor Vishnu* estava tão farto das contínuas petições do seu devoto que, um dia, apareceu diante dele e lhe disse: "Decidi conceder-lhe as três coisas que você deseja pedir-me. Depois não voltarei a atendê-lo em mais nada."
Cheio de alegria, o devoto fez o seu primeiro pedido sem pensar duas vezes. Pediu que sua mulher morresse, para que pudesse se casar com uma melhor. Seu pedido foi imediatamente atendido.
Mas, quando seus amigos e parentes se reuniram para o funeral e começaram a recordar-se das boas qualidades da finada esposa, o devoto caiu em si e conclui que havia sido um pouco precipitado. Agora reconhecia que havia sido absolutamente cego às virtudes da mulher. Por acaso, será que era mais fácil encontrar outra mulher tão boa como ela?
De maneira que, pediu ao Senhor que a ressuscitasse. 
Com isso, só lhe restava um pedido a fazer. E estava decidido a não cometer um novo erro, porque, desta vez, não teria possibilidade de remediá-lo.
Pediu, então, conselho aos demais.
Alguns amigos o aconselharam a pedir a imortalidade. Mas, de que serviria a imortalidade - disseram-lhe os outros -, se não tinha saúde? E de que lhe serviria a saúde, se não tivesse dinheiro? E de lhe que serviria o dinheiro, se não tivesse amigos?...
Passaram-se os anos e ele não podia determinar o que deveria pedir: vida, saúde, riquezas, poder, ou amor?...
Por fim, suplicou ao Senhor: "Por favor, aconselha-me. O que devo pedir?"
O senhor riu ao ver os apuros do pobre homem, e lhe disse:
"Pede para que você seja capaz de contentar-se com tudo o que a vida lhe ofereça, seja lá o que for..."

- Nota de Wagner Borges: Anthony de Mello (Bombaim, 4 de Setembro de 1931 - Nova York, 2 de Junho de 1987) foi um padre jesuíta e psicoterapeuta que se tornou conhecido por seus escritos sobre espiritualidade em que mesclava a doutrina judaico-cristã aos conceitos orientais do Budismo e do Hinduísmo. Muitos de seus contos portam aquela atmosfera da sabedoria oriental, em que os ensinamentos de Buda, Krishna, e Lao-Tzé se fundem numa síntese maravilhosa com os ensinamentos de Jesus. E por essa abordagem universalista, muitos de seus escritos inspirados são citados e reproduzidos por diversos autores, seja em livros ou pela Internet. 
Esse texto sobre Vishnu e os pedidos do devoto encerra uma grande lição: o ser humano não sabe o que quer realmente!
Talvez, lendo esse conto inspirado, nós possamos agradecer mais ao Senhor da vida, em lugar de ficar enchendo o seu saco divino com nossos pedidos mesquinhos e nossas ilusões sensoriais.

- Nota do texto:
* Vishnu - do sânscrito - literalmente, é o "Todo-Interpenetrante". Na trimurti hinduísta, Vishnu é um dos aspectos do Divino (Brahma, Vishnu e Shiva). É o Senhor do Amor que viaja no coração espiritual de todos os seres. Ele também é conhecido como Narayana, o protetor divino, e o seu mantra mais conhecido é Om Namo Naraya Naya. O seu bija-mantra (mantra semente) é "Hari Om".

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Ajuda de Sophia




existia na floresta uma senhora muito idosa e cheia de sabedoria.
ela vivia sozinha, no meio da mata, onde não mora e não passa ninguém.
mas sua sabedoria e conhecimento dos mistérios da mata eram conhecidos por toda região e até além.
ela sabia localizar, identificar, preparar e usar inúmeras plantas e outros recursos do reino da floresta.

certo dia, uma jovem senhora casada há poucos anos buscou seus conhecimentos e serviços.
ao chegar, foi logo desabafando:

- Senhora Sophia, Senhora Sophia, a senhora tem que me ajudar!! Já não aguento mais!! A minha sogra veio morar com a gente há 6 meses e nunca mais minha vida teve paz, nunca mais tive um dia sem aborrecimento! Ela inferniza a minha vida e não me deixa em paz! Quer dizer como eu tenho que ser, o que eu devo fazer e não para de me pedir que faça as coisas para ela e do jeito dela! Eu e meu marido não conseguimos mais um momento a sós! Não aguento! Por favor, eu preciso de um veneno que acabe com isso! Mas ninguém pode saber que fui eu.

- Maya, minha filha querida, tenha paciência. Vou preparar o que me pede.

[assim, madame Sophia entrou em seu quarto especial de alquimia e voltou trazendo um frasco]

- Aqui está minha filha, leve esse vidro todo. Coloque uma colher desse pó misturado a comida de sua sogra todos os dias. Vai agir lentamente, não vai ter como perceber. Assim que o vidro estiver acabando, venha aqui que eu te dou outro se necessário.

- Muito obrigado senhora Sophia! Muito obrigado! Só assim vou ter paz novamente!

- Mas muito cuidado Maya! Para ninguém mesmo desconfiar de você, trate sua sogra com muito carinho e atenção. Não responda, tampouco argumente qualquer coisa que ela dizer. Obedeça tudo, sem reclamar, mesmo que não ache certo. Assim, ninguém suspeitará de você.

[Maya partiu e colocou em funcionamento o planto traçado. Passaram meses, pouco mais de seis, quando Maya precisou voltar à casa da Senhora Sophia]

- Senhora Sophia, Senhora Sophia, por favor, a senhora tem que me ajudar!!! 

- O que foi Maya? Acabou o pó que te dei?

- Sim senhora Sophia, acabou.

- Tudo bem. Eu vou preparar outro.

- Não senhora Sophia! Não, por favor!!! Eu vim porque quero um antídoto para esse veneno indigno que fiz uso! 

- Mas o que aconteceu?

- Assim que coloquei o plano em ação, tratei minha sogra como a senhora mandou. No começo foi muito difícil! Muito difícil mesmo! Mas como estava determinada no plano, aguentei tudo! Por semanas, fui humilhada, explorada e desvalorizada sem reclamar de nada. Depois de algumas semanas, minha sogra começou a mudar comigo. Já não era a mesma. Começou a me tratar com carinho, a gostar da minha companhia, a fazer questão de me agradar com tudo o que pudesse. Hoje eu descobri que a amo como parte de mim! Não quero mais que ela morra, e, se isso acontecer, nunca vou me perdoar!

- Minha filha querida, não se preocupe. O pó que te dei, não era veneno era casca de ovo de coruja. Só fez bem para a saúde da sua sogra. O remédio mesmo foi a forma como você tratava ela. Assim que parou de alimentar o que achava ruim nela, aquilo foi perdendo força, perdendo força, até não conseguir mais dominar as atitudes da mãe de seu marido. Hoje ela responde ao que recebe, e, recebendo amor, devolve amor também.


sexta-feira, 29 de abril de 2011

Na alegria de uma lontra



Uma lontra é um animal que em certas culturas traduz alegria.
Na mente não me foge essa comparação.
Tenho meus motivos, discretos, mas reais.

Momento de transição não seria esse meu pousar.
Todavia, não posso dizer que sinto algo diferente ao lembrar.
Alegria sim! Pois o passado me é trazido em momentos bons.

Estou extremamente entrelaçado
Entrelaçado ao passado.
Agarro-me aos bons momentos e nem recordo se houve qualquer ruim.

Paixonites, criancices e chatices
Tudo me faz dar passos de alegria durante o dia

Aqui no meu Acre agora
Estou preso a minha Brasília de outrora

Agradeço a essa galera amada e querida
De um colégio com nome de Santa e de Flor
Rosa é a beleza materializada de Deus
E como me alegram os verdadeiros amigos meus!!

Não cito nomes por limitação e receio
De por algum descuido deixar de citar alguém que muito brinquei no recreio
Mas a ligação mexe bem no meio
E deixa esse aqui de alegria bem cheio!!!!


Muito obrigado galera do SANTA ROSA!!
Essa amizade é uma coisa só nossa!!!!



Homini Pax

domingo, 17 de abril de 2011

Estudo

"Estudo
ÉS-Tudo"

(U.D.V.)

quinta-feira, 14 de abril de 2011

UM ENCONTRO DE ORAÇÃO REALMENTE ECUMÊNICO

Todos estão convidados a comparecer no salão da catedral Nossa Senhora de Nazaré (Centro), nesse sábado (16/04/2011) para UM ENCONTRO DE ORAÇÃO REALMENTE ECUMÊNICO, com simbolismo do lava-pés e da partilha do pão.

Estarão presentes representantes de todas as religiosidades atuantes (católica, evangélica, daimistas, espíritas, candomblé, umbandistas, etc.) no nosso Acre e outras representações políticas. A entrada é franca. Convide também outras pessoas. Faremos um delicioso lanche comunitário.

É um convite do INSTITUTO ECUMÊNICO FÉ E POLÍTICA - ACRE, dirigido pelo nosso estimado ex-padre Sr. Manoel Pacífico.


Data: 16/04/2011 - sábado
Hora: 08h00min início e 11h00min término
Local: Salão paroquial da Catedral Nossa Senhora de Nazaré


"Oh, como é bom, como é agradável o encontro entre irmãos!" (Salmo 133).


Paz e bem
Thiago Martins e Silva
Diretoria Executiva do IEFP/AC

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Novo ano Novo eu

Há tempo travei
Bloqueado estive desde a despedida daquele que ainda não nasceu.
Isso por meados do Janeiro que se passou. Que alguns acreditam ser o começo de novo ano.
Não eu.

Para mim novo ano nasce em Abril.
Onde minha trilha se abre e novos conceitos são estabelecidos.
Hoje quero só tirar a poeira, que me travou, que embassou, e bloqueou as palavras que vinham e que insistiam não serem escritas por demasiada angustia e sofrimento dos acontecimentos e sentimentos vividos.

Hoje, o ano começa. Depois do carnaval, depois do temporal.
Novo ano, novo eu
O amor, só o Divino agora interessa-me.

Vontade de voltar à Floresta de Juramidã.
Contudo, a trilha é à frente.
Atrás apenas lições.

Que venha o mundo
Pois de bubuia a alegria será minha resposta.

Paz a todos e todas

Saudades de meu sangue
Que parece precisar mais de mim do que nunca
E eu mais deles do que jamais imaginei

Trabalhar Correr Nadar Lutar
Rezar Jejuar Meditar Cantar
Conversar Escrever Ler Obedecer

Ó Mãe Divina, Pai Celestial
Venham assim me renovar!

Paz e bem
Amém!

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Ainda não nasci



Ainda não nasci
E nem sexo eu tenho...
Afinal, o que é sexo?

Anjo não tem isso! E sou ainda um pequeno anjinho
Mesmo assim já sinto o carinho
De Papai, de Mamãe, da Leca e até do Tuco
Estão me chamado de baby, neném, ou até de fruto

Sou fruto de uma coisa muito bonita
Que nem papai e mamãe entendem como eu
Pois sou um anjinho e estou mais perto
De todo amor que Deus nos deu

Sou uma sementinha no ventre de mamãe a crescer
E com certeza até o dia que nascer
Muitos sorrisos ainda irei fazer brotar
Porque sei que todos que conheço
Só vão saber me amar

Coisa mais importante já sou
E mesmo sem nem ter aparecido
Se continuar assim imagine
Como serei importante depois de crescido...

Nazaré, João ou José
Uriel, Rafael ou Lorena
Para descobrir agora quem eu sou
Nem mesmo com uma novena

Sou de papai e de mamãe
Meu nome eu vou apresentar
Mas pela ordem Divina
Eles vão ter que aguardar

Sementinha continuo sendo por enquanto
Mandando meu recadinho pelo papai
Que de dia e de noite em pranto
Chora saudade por onde vai

Já voltamos logo papai
Trabalha e se prepara com tudo
Pois a coisa mais gostosa da sua vida
Sou eu, desse ventre, esse fruto


Que São Miguel, anjo querido
Proteja nossa família do bicho fedido

Amém!

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Perito - retrato de um profissional, sem glamour

* RETIRADO DO BLOG: http://cienciacontraocrime.blogspot.com


QUARTA-FEIRA, 12 DE JANEIRO DE 2011

Perito - retrato de um profissional, sem glamour

Mais uma contribuição do colega tocantinense e novo colaborador do CCC, Gilvan Nolêto. Trata-se da reprodução de um artigo por ele escrito quando da celebração do Dia do Perito (4 de dezembro) do ano passado.


Perito - retrato de um profissional, sem glamour

Quando o telefone toca, no plantão do Instituto de Criminalística, o corpo do perito plantonista emite sinais, que tanto pode ser um discreto arrepio pelo corpo ou um costumeiro friozinho no estômago. Sensações assim, se assemelham a um alerta espontâneo, de que algo ruim acaba de acontecer. Papel e caneta nas mãos, ele anota o endereço, muitas vezes, de uma tragédia. Não importa se é dia ou noite, se o tempo é de sol ou chuvoso. Começa a luta contra o relógio, pois todo perito sabe, que quanto mais ele demorar, mais longe da verdade ficará.

Com o equipamento necessário nas mãos, como uma trena métrica, uma máquina fotográfica, luvas, papel e caneta presos em uma prancheta, e uma forte dose de adrenalina, o perito vai a campo, ao encontro do inesperado. Uma perícia nunca é igual à outra. Pelo trajeto, é comum ele ser informado de que a sua presença também é necessária em outro local e mais outro... A tensão ganha maior dimensão e assim prossegue em 24 horas de sucessivas expectativas.

No local da perícia, onde o perito faz a coleta de provas, além de ter a obrigação de ser atento, detalhista, ousado, isento e ético em busca da materialização da verdade, também tem que ser fotógrafo, desenhista e por mais que se especialize ainda tem que lidar com sentimentos primitivos inerentes à humanidade. Afinal, não é fácil conviver com a dor do semelhante e muitas vezes ter que administrar surpreendentes reações familiares.

As imagens que ele vê, de corpos esmagados, cabeça ou outros membros separados do corpo, sejam de crianças ou adultos, tendem a se somar a carga de estresse, mas o perito tem que chegar bem perto para fotografar e detalhadamente, examinar, pois até as larvas transmitem informações. E ainda que use subterfúgios para driblar os fortes odores emanados dos gases e do sangue fétido que no ser humano é inigualável, não há como fugir à somatória silenciosa do estresse, embora ele não disponha de serviço de apoio psicológico específico.

Depois do plantão, quando o perito deveria dispor de folga, esse é o período que ele se dedica para atender à pressão dos prazos. Ele tem dez dias para estudar cada uma das ocorrências periciadas, fotografias, realizar cálculos, às vezes, até acompanhar a autópsia de um corpo no IML, para depois confeccionar o laudo pericial que pode resultar na condenação de um culpado, ou na absolvição de um inocente. Haja responsabilidade!

As sensações físicas ou os sinais de alerta que o perito experimenta quando o telefone toca, apenas indicam que o aspecto psicológico está abalado pela convivência com situações extremas, porém rotineiras, mas que provocam importantes dispêndios de energia psíquica. E de passagem, diga-se, o estresse tem limites!

Ao contrário do glamour exibido em seriados norte-americanos, a realidade diária de um perito é bem diferente do CSI televisivo. Se há glamour, esses profissionais ainda não descobriram, pois a silenciosa responsabilidade que os move, grita alto dentro deles.

A Criminalística é uma ciência relativamente nova, mas vem caminhando a passos largos em busca dessa solidificação científica. Com formações acadêmicas em diversos ramos da ciência, e com a aquisição de conhecimentos técnicos consagrados, os peritos tocantinenses não têm deixado a desejar.

Nesse 4 de dezembro, data em que se comemora o Dia do Perito em homenagem a um profissional mineiro que morreu enquanto realizava seu trabalho, quem não tem muito a comemorar são os 24 peritos policiais do Tocantins. Esses profissionais que executam e-x-a-t-a-m-e-n-t-e as mesmas funções dos Peritos Criminais há 17 anos, recebem 50% a menos, pelo mesmo trabalho realizado, contrariando o princípio constitucional que determina: “trabalhos iguais, vencimentos iguais”. Para eles, se a solução não tiver base Legal, não seria demais, que se fizesse Justiça!

Gilvan N. Nolêto
twitter.com/gilvannoleto

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Construindo


Muito se passou desde a última vez. A história vem sendo escrita; ou melhor, vem sendo vivida.
Escrever e ler. Ler e escrever. Sinto falta, mas fazer o quê?
Faço o que sou capaz. Entre troncos e barrancos, correndo atrás. Sabe do quê? Da verdadeira paz.

"Amor igual ao seu eu nunca mais terei
Amor que eu nunca tive igual".
"Amar como eu te amo, só uma vez na vida".
Poetas já sentiram o que vivo.
Mas eu nunca havia imaginado ser isso algo real.

Sem inspiração por mágoas sem razões.
Razões nas mágoas sem sentido de existir.
Sentido ferido por ego magoado.

O que adianta escrever se não sei o que dizer?
Só sei que te amo e contigo quero construir essa família que tanto sonhei.
Eu e você. Você e nossos filhos. Nossos filhos e eu.
Um círculo, uma união, uma harmonia.
Paz e bem a nosotros e aos nossos!

Que a Virgem Mãe te acompanhe em sua ida e em seu retorno.

Santo Antônio e São José
Guardem e abençoem o fruto do ventre de
Cintya Mendes Condé.


Amém.