segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Ninguém é de ninguém

Até onde chega o limite?
até que ponto está o limiar?

quando é a hora
de respeitar
de esperar

ou, melhor, de nada esperar

impossível, nesse grau, nada nada esperar
depois de tanto ter que aguardar

como voltar o que se foi e gostar do que ainda não foi?

sinceramente, ser demais não satisfaz?

então, ser de menos não é dos pequenos??

sempre fui, desde que me lembro, apaixonado por tudo que me entrego
e se me entreguei a ti
por que seria diferente?

mais vale poucos minutos bem vividos
do que séculos sem nada aproveitar

eu aqui
milhas e milhas mais próximo
e deito-me a conversar com as teclas
e não com ti
por quem bom tempo esperei

pena é sentir
que o encanto parece ter fugido de nós

e nesse desencanto
espero aprender como ser melhor

talvez atingir o equilíbrio
e finalmente entender

que ninguém é de ninguém


pax tecum.

2 comentários:

Recriando disse...

Coraçãozinho cicatrizando pelo visto...
ser apaixonad@ é assim... é preciso aprender a sentir a dor mas não sofrer tanto né mesmo?

Me identifiquei com muitas coisas que vi por aqui... Gostei muito das suas palavras e do reencontro contigo (ou seria encontro?). Perceber o amadurecimento e passar por isso também é muito bonito.

Muito bom se entregar a tudo que temos amor... afinal... podemos ser amor...

gratidão.
beijo grande

Thiago Silva disse...

Olá!! Muito agradecido pelas gentis palavras! Olhei seu blog e adorei!! Mas não consegui achar um nome..rs.

Vc é a Ju Fernandes??

Trabalho maravilhoso o seu!!! lindo mesmo!!!

paz e bem
Thiago.