quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Construindo


Muito se passou desde a última vez. A história vem sendo escrita; ou melhor, vem sendo vivida.
Escrever e ler. Ler e escrever. Sinto falta, mas fazer o quê?
Faço o que sou capaz. Entre troncos e barrancos, correndo atrás. Sabe do quê? Da verdadeira paz.

"Amor igual ao seu eu nunca mais terei
Amor que eu nunca tive igual".
"Amar como eu te amo, só uma vez na vida".
Poetas já sentiram o que vivo.
Mas eu nunca havia imaginado ser isso algo real.

Sem inspiração por mágoas sem razões.
Razões nas mágoas sem sentido de existir.
Sentido ferido por ego magoado.

O que adianta escrever se não sei o que dizer?
Só sei que te amo e contigo quero construir essa família que tanto sonhei.
Eu e você. Você e nossos filhos. Nossos filhos e eu.
Um círculo, uma união, uma harmonia.
Paz e bem a nosotros e aos nossos!

Que a Virgem Mãe te acompanhe em sua ida e em seu retorno.

Santo Antônio e São José
Guardem e abençoem o fruto do ventre de
Cintya Mendes Condé.


Amém.

Um comentário:

Dan disse...

Olha ae, mandou bem!
tudo de bom a sua família!
saúde e felicidades mil!
abraçao! Vou guardar o blog!